Portal do Governo Brasileiro

Exposição Neusa Carson: Língua e Memória

neusa-2

A Exposição Neusa Carson: Língua e Memória, que se realizará de 21 de outubro a 01 de novembro de 2013, na Sala Carriconde, do Centro de Artes e Letras (CAL), Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), sob a coordenação geral da Prof.ª Dr.ª Amanda Eloina Scherer e a coordenação executiva da Prof.ª Dr.ª Simone de Mello de Oliveira, é o primeiro evento desse porte que tem sua gênese em uma política de Fundo Documental.

A implementação de uma política Fundo Documental no âmbito institucional foi pensando, inicialmente, na história disciplinar da Linguística, mas visando algo maior nas relações que se estabelecem entre as diferentes áreas de produção do conhecimento e os trabalhos desenvolvidos por pesquisadores que dedicam toda uma vida profissional em prol da universidade e têm de fato um imenso legado histórico que precisa ser preservado, tratado, arranjado para estar disponível à consulta dos pesquisadores que estamos formando.

Essa política insere o Laboratório Corpus em um a nova fase, a partir da concepção de um projeto de criação de um Centro de Documentação e Memória composto por vários setores, entre eles, o de Fundos Documentais e Acervos. O primeiro fundo a ser pensado e criado foi o Fundo Documental Neusa Carson (FNDC), designado pelo nome de uma importante linguista do sul do país, que viveu e trabalhou na UFSM e na PUC/RS nas décadas de 70 e 80, contribuindo para a institucionalização e disciplinarização da Linguística entre nós e tendo uma participação nacional e estrangeira importantíssima no desenvolvimento de pesquisas no campo da descrição de línguas indígenas, mais precisamente o Macuxi, em Roraima.

Após a criação e a implementação deste primeiro Fundo Documental, o FDNC, iniciou-se então a captação de outros Acervos pessoais e Arquivos para compor o futuro Centro de Documentação idealizado pelos pesquisadores deste Laboratório. Recebemos a doação do acervo pessoal do prof. Michael Phillips sobre William Blake que está sob a responsabilidade do pesquisador Prof. Dr. Enéias Farias Tavares. E, ainda em de agosto de 2012, foi assinado o Protocolo de Intenção de Doação do acervo pessoal da professora pesquisadora Maria Luiza Ritzel Remédios por João Antônio Remédios, seu filho, ao Laboratório Corpus. Neste momento, estamos em fase de organização e catalogação do Fundo Documental Aldema Menine Mckinney (FDAMM), criado a partir de acervo doado pela pesquisadora.

É nesse momento de fundamental importância para o Laboratório Corpus, em que comemoramos os 50 anos do CAL/UFSM, que se realiza a Exposição Fundo Documental Neusa Carson, idealizada a partir de um projeto de pesquisa de autoria da Prof.ª Dr.ª Amanda Eloina Scherer intitulado Linguística no sul: estudos das idéias e organização. Trata-se de uma justa homenagem a Neusa Carson que foi Professora Assistente no Curso de Letras da UFSM, exercendo a docência na disciplina de Linguística nos anos 70 e 80 do século XX. A linguista-pesquisadora, cujos trabalhos transcendem o espaço nacional, realizou sua formação escolar – primário, ginásio e clássico – em estabelecimentos educacionais em Santa Maria (Grupo Escolar Cícero Barreto, Colégio Sant’Anna, Colégio Estadual Manoel Ribas), do mesmo modo a sua formação universitária no curso de Letras (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras “Imaculada Conceição).

Nos primeiros anos da década de 70, Neusa Carson realiza no exterior, EUA, mestrado em Linguística, sua dissertação versa sobre o bilinguísmo, intitulada Bilingualism in Primary School Childrens, inserida na Aquisição da Linguagem. Sua formação intensifica e toma um novo rumo, ainda nesses anos inicias da década de 70, também nos EUA, com a monografia intitulada The problem of classification of South American indian languages, adentrando assim na Linguística Indígena.

É nos primeiros anos da década de 80, nesse mesmo campo de pesquisa linguística, que realiza seu doutorado, defendendo sua tese intitulada Phonology and Morpho-Syntax of Macuxi (Caribe), publicada em 1982. Para a realização dessas pesquisas de descrição da língua macuxi, realiza pesquisa de campo em comunidades falantes dessa língua no estado de Roraima.

Como resultado de suas pesquisas, entre os anos de 1978 e 1986, pode ser observado um considerável número de publicações de Neusa Carson e apresentações em importantes universidades tanto nos Estados unidos como na Europa. A década de 80 é definitivamente de internacionalização dos resultados dos trabalhos em pesquisa de campo com falantes da língua macuxi. Ao mesmo tempo, em território brasileiro, participa de encontros com associações de linguística e antropologia, campos ainda estreitamente ligados em se tratando de pesquisa com línguas indígenas no Brasil. A participação em congresso no exterior é oportunidade também para Neusa Carson chamar a atenção da comunidade intelectual para a preservação linguística e cultural dos indígenas macuxi.

Mais informações sobre a Exposição Neusa Carson: Língua e Memória pode ser encontrada no site do Laboratório Corpus, no endereço