Portal do Governo Brasileiro

Quem é Aldema Menine Mckinney

foto-3

Aldema Menine Trindade, hoje Aldema Menine Mckinney, foi durante 25 anos professora do Departamento de Metodologia do Ensino do Centro de Educação da Universidade Federal de Santa Maria. Oriunda da zona rural da cidade de Alegrete, no Rio Grande do Sul, Aldema sempre foi engajada politicamente, o que, em função do momento de efervescência política brasileira das décadas de 70-80, de certa maneira, definiu a carreira profissional dessa educadora e determinou o lugar institucional que ela poderia ou não ocupar na academia.

Na cidade de Alegrete, realizou sua formação e iniciou suas atividades profissionais, cursando Magistério e, posteriormente, Graduação em Letras (ano de 1974) pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Alegrete. Realizou seu Mestrado em Linguística e Letras na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), sob a orientação do Prof. Dr. Ir. Elvo Clemente. Em 1979, defendeu a dissertação intitulada Linguagem Regional da Fronteira do RGS: o léxico do cavalo.
Foi professora do Colégio Agrícola de Alegrete e, no ano de 1981, foi cedida para Universidade Federal de Santa Maria, instituição na qual posteriormente ingressou como professora concursada. Como professora do Departamento de Metodologia de Ensino da UFSM, iniciou seu percurso com a disciplina de Metodologia de Ensino de 2º Grau, passando, mais tarde, para a disciplina de Metodologia de Ensino de 1º Grau, até voltar seus trabalhos para a questão da alfabetização.

Atuou em diversos programas e projetos relacionados à temática educacional indígena, rural e de zona fronteiriça. Segundo informações disponibilizadas em seu Currículo Lattes, atuou principalmente nos seguintes temas: formação de professores, pedagogia da linguagem, metodologia de ensino, inclusão e alfabetização.

A Professora Aldema orientou 18 dissertações vinculadas ao Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSM e inúmeras monografias de Especialização em diversas outras instituições, como, por exemplo, a Universidade Federal de Roraima, a Universidade da Região da Campanha e a Faculdade de Filosofia Ciências e Letras (FIC), atual UNIFRA. Atuou em diversas instituições universitárias do Rio Grande do Sul e também de outros Estados brasileiros, entre elas a Universidade de Passo Fundo (UPF), a Faculdade de Filosofia,Ciências e Letras de Alegrete (FFCL) e a Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Nos anos 80, foi convidada a ministrar a disciplina de Metodologia de Ensino no Curso de Letras, em um projeto de extensão da Universidade Federal de Santa Maria atuante no Estado de Roraima. O convite motivou a pesquisadora a também abordar questões referentes à alfabetização e à educação indígena, tema que permeou grande parte de sua pesquisa acadêmica e sua vida profissional.

Entre os anos 1986 e 2001, realizou assessoramento técnico-pedagógico ao Núcleo de Educação Indígena, no sentido de adequar o currículo das Escolas de Área Indígena à realidade dos grupos indígenas de Roraima. Durante o período de 1984 a 2001, prestou assessoramento técnico-pedagógico à Secretaria de Educação de Roraima para a implementação da proposta “Aprendendo com a Natureza”. E, entre os anos de 1993 a 2000, ocupou o lugar de Consultora do Ministério da Educação (MEC) para a Educação Indígena. Também atuou como consultora Especial do Projeto “Pedagogia Linguística de Pré-Escolar e Escolar”, desenvolvido na Universidade da República do Uruguai, em Montevidéu. Cabe ressaltar também que, entre os anos de 1994 e 1997, foi Pró-Reitora de Assuntos Estudantis da Universidade Federal de Santa Maria.

Para nós, a vida profissional da Professora Aldema – que, de maneira alguma, pode ser separada de sua vida pessoal, de sua formação familiar e acadêmica – faz parte da história da UFSM, do Curso de Letras desta instituição, via Centro de Educação. Sua vida profissional retrata um momento singular da história político-educacional da UFSM: o investimento, por parte desta instituição, em cursos de graduação no Estado de Roraima, o que contribuiu de modo efetivo para a criação da Universidade Federal de Roraima.

Resgatar, recuperar, organizar e trazer à tona dados e fatos referentes à história da Professora Aldema Menine Mckinney é também referendar uma parte da história da UFSM, uma parte da história da educação no Brasil. Lançar um olhar sobre a vida desta pesquisadora, em nosso entender, significa produzir um gesto de interpretação sobre as relações entre sujeito e instituição, as quais, ligadas à relação história de vida versus história profissional, exercem papel fundamental na formação dos profissionais de Letras no Brasil.